Análise FC

ICC – Manchester City 2×2 Olympiakos

Fui designado pelo Radar da Bola a fazer a cobertura de Manchester City x Olympiakos, pela Guiness International Champions Cup, e logo confesso que não sou grande fã de amistosos de pré-temporada. Tirando um ou outro bom jogo que aparece, no geral as pelejas são bastante entediantes. A principal meta destes amistosos, em tese, é dar melhor ritmo de jogo aos atletas que voltam das férias, como complemento dos treinamentos da pré-temporada. Para os clubes, é uma boa oportunidade de embolsar um bom dinheiro, e levar sua marca aos fãs dos mercados emergentes do futebol, como os Estados Unidos e diversos países asiáticos. Em campo, o nível de competitividade é baixo, e com razão, pois ninguém quer passar por uma lesão grave justamente antes do início dos torneios que realmente importam, sendo que algumas equipes fazem um rodízio entre os vários jogadores de seus numerosos elencos (inclusive alguns que sequer terão oportunidades ao decorrer da temporada). Sendo assim, qualquer análise tática, ou até mesmo técnica, tendo em mente que a maioria dos atletas ainda está longe de sua forma ideal, é facilmente descartável. Contudo, como gostamos de assistir futebol ainda que seja a pelada sub-8 da pirralhada da rua, sempre temos a esperança de aproveitar algo com tais partidas.

 

PRÉ-JOGO

A partida será disputada no TCF Bank Stadium, em Minneapolis, estádio onde o time de futebol americano da Universidade de Minnesota manda suas partidas. Os quase 51 mil espectadores que o estádio comporta deverão fazer presença, haja visto o sucesso que a competição tem feito com o público norte americano. O que chamou a atenção para o local da partida é a utilização de grama temporária, o que será motivo de preocupação do técnico chileno Manuel Pellegrini, que apontou o risco de lesões devido ao estado do gramado, além da queda do nível do ‘espetáculo’. E para prejudicar ainda mais o bom futebol, a temperatura também promete não ajudar: o termômetro promete marcar cerca de 30ºC durante a partida.

Ademais, o jogo promete ser ‘decisivo’: em caso de empate, basta também um simples empate do Liverpool contra o Milan para garantir a classificação para as finais.

gramado city pelegrini

Condições do gramado no TCF Bank Stadium não agradam

 

Nesta semana, ambas equipes foram alvo de especulações sobre transferências de jogadores de renome. O veterano Frank Lampard, recém contratado pelo New York City, poderá chegar por empréstimo nos citizens, permanecendo na Inglaterra até até o início da MLS. Já ao clube grego foi atribuído o interesse pelo atacante Robinho, conforme informado pelo próprio dirigente do Milan, Adriano Galliani. Enquanto as especulações não se concretizam, os dois clubes já testam seus reforços para a temporada na própria ICC: o volante brasileiro Fernando, e os argentinos Caballero e Zuculini, goleiro e meio-campista, respectivamente, atuaram nos dois jogos do City pelo torneio. Os gregos tiveram a chegada de 14 (!) jogadores, sendo Dossevi, Abidal, Masuaku, Kasami, Ghazaryan, Ellabdellaoui, Papazoglou, Avlonitis, Bouchalakis, e Kolovos os que já estiveram em campo até o momento.

Olympiakos

Com tantos jogadores novos no elenco, o técnico Míchel tenta entrosar a equipe, faltando 22 dias para a estréia do Olympiakos no campeonato grego. E justamente com o time recheado de novidades veio a surpreendente vitória por 3×0 sobre o combalido Milan, na primeira partida da ICC. Na segunda partida, derrota por 1×0 para o Liverpool, que chegou a utilizar por algum período a base ofensiva do time, com Coutinho, Gerrard, Henderson, Sturridge e Sterling, sendo este último o autor do gol após sair do banco. Neste jogo o treinador espanhol abusou da possibilidade de substiuições ilimitadas, levando a campo todos os jogadores que iniciaram no banco de reservas. Vale lembrar que para o confronto contra o City, os gregos provavelmente terão à disposição seus 4 jogadores que disputaram a Copa do Mundo pela Grécia (Holebas, Manolas, Maniatis e Samaris), que ainda não atuaram juntos nesta pré-temporada.

Manchester City

Após atropelar o Milan por 5×1, e empatar em 2×2 contra o Liverpool (perdendo nos pênaltis posteriormente), o City pode se classificar à final se vencer a equipe grega, e contar com um tropeço dos rivais ingleses. Dois atletas têm se destacado nos recentes amistosos, mas dificilmente irão permanecer para a disputa da EPL: o nigeriano Kelechi Iheanacho, de 17 anos, campeão do Mundial sub-17 2013 e eleito melhor jogador, com espantosos 6 gols e 7 assistências na competição; e o argentino Bruno Zuculini, contratado junto ao Racing-ARG nesta janela de transferências. Apesar da permanência de ambos no City para a temporada, os dois jovens aproveitaram as chances que tiveram nos amistosos iniciais com boas atuações, tendo Zuculini já despertado o interesse do futebol espanhol em sua contratação por empréstimo.

Os atuais campeões ingleses possuem o melhor ataque da ICC, com 7 gols. E é no ataque que têm se destacado um jogador que promete brigar pela titularidade nesta temporada: Jovetic. Com 4 gols, o montenegrino é o artilheiro do torneio, e após a lesão de Negredo, tentará convencer o técnico a dar-lhe mais minutos em 2014/15. Pellegrini ainda não terá Fernandinho, Demichelis, Zabaleta, Aguero, Kompany e Sagna, que disputaram a Copa do Mundo, além do próprio espanhol Negredo, que sofreu uma fratura no pé no amistoso contra o Hearts, no último dia 18/07. Contudo, o treinador garante a presença de Nasri, lesionado desde o amistoso contra o Sporting Kansas City (e de contrato renovado até 2019), além de David Silva, que também estava entre os que vieram ao Brasil com sua seleção.

COMO FOI

Apesar dos 4 gols, o jogo foi bastante monótono, com pouca movimentação e nenhuma variação tática por parte dos dois treinadores. Os gregos, jogando no 4-2-3-1, tomaram a iniciativa no início e conseguiram um gol relâmpago com 1 minuto, anulado pelo auxiliar. Ainda assim, mesmo não ficando com a bola na maior parte do tempo, o time trabalhou bem sua posse nos minutos iniciais, com passes curtos essencialmente entre o trio Saviola, Dominguez e o recém chegado Kasami. Depois da euforia inicial, por um longo período as tentativas ofensivas dos alvirrubros se resumiram a tentativas de lançamentos buscando o jovem centroavante Diamantakos, que pouco conseguia fazer contra a marcação de Boyata. O City, postado no clássico 4-4-2, se defendia atrás da linha do meio campo, preenchendo bem os espaços e anulando as opções de passe do rival, e com a pressão de Dzeko, Jovetic, Yaya-Touré e Fernando logo no primeiro terço do meio campo, forçava os erros do Olympiakos. Contudo, a equipe só buscava o ataque através da ligação direta, por lançamentos do lateral Clichy, que abusou deste fundamento e por vezes cedeu a bola ao adversário. Mesmo assim, foram seus lançamentos que levaram o City ao ataque na primeira metade da etapa inicial – na melhor delas, acionou o volante marfinense, que ganhou do marcador no corpo a corpo, e rolou com açúcar para Nasri chutar pra fora.

Jovetic disputa bola com Samaris

A verticalidade do campeão inglês, que buscava o ataque trocando cerca de 5 passes até a conclusão da jogada, ocorria principalmente pelo lado direito do campo. Jesus Navas e Clichy tentavam aproveitar a característica ofensiva do lateral esquerdo adversário Masuaku, que subia ao ataque e não tinha a cobertura adequada dos volantes na recomposição defensiva, dando muita liberdade aos sky blues por essa faixa do campo. Entretanto, a bola pouco chegou ao setor de meio campo para ser melhor trabalhada pelo excelente Yaya-Touré. A tentativa do Olympiakos em acionar Diamantakos com lançamentos nas costas de Boyata funcionou somente aos 24 minutos, mas terminou com o zagueiro belga fazendo excelente desarme com carrinho perigoso dentro da área.

Com quase 30 minutos de jogo, e um calor infernal, o desgaste começou a ser notado, mas prinpalmente no lado do Olympiakos, que subia ao ataque quase sempre com Samaris, Kasami, Saviola e Dominguez. A espinha dorsal da equipe acabava por perder rapidamente não somente a bola, como também o fôlego para ajudar na recomposição do setor defensivo, o que dava bastante espaço e tranquilidade ao Manchester City. Mas os ingleses chegaram ao primeiro gol, aos 34 somente devido à ótima jogada individual de Jovetic, que recebeu de Nasri, invadiu a área adversária pelo lado esquerdo com um belo drible, pedalou na frente do zagueiro Papadopolos e finalizou com categoria. O atacante da seleção de Montenegro foi em toda partida quem mostrou mais vontade, movimentando-se bastante, embora tenha sido pouco acionado pelos companheiros no primeiro tempo. A resposta foi rápida: dois minutos mais tarde, aproveitando-se da defesa do City, Kasami tabelou com Saviola e presenteou Diamantakos com uma bela assistência: 1×1.

Mesmo após a parda técnica para hidratação, as duas equipes aguardavam ansiosamente o fim do primeiro tempo. Dominguéz, que devia ser o responsável pela distribuição da bola com qualidade na equipe grega, errava muitos passes e buscou finalizações muito longe da meta de Joe Hart. Do outro lado, Dzeko não tinha dificuldades para duelar com os defensores, mas demonstrava um relaxamento típico deste tipo de amistoso, não contribuindo tanto quando poderia. Ainda teve tempo de Jovetic sofrer falta dentro da área (não marcada) em jogada contra Papadopolos, originada após Kasami conduzir demais a bola e perdê-la para Yaya-Touré, que acionou o companheiro com um belo lançamento.

No segundo tempo, o jogo conseguiu piorar um pouco. Os 15 primeiros minutos foram marcados por amplo domínio do Manchester City, que levou a campo vários reservas que. Além de descansados, os que entraram queriam aproveitar a chance de mostrar futebol ao treinador Manual Pellegrini. Entraram Guidetti, Richards, Zuculini, Javi Garcia, Milner e o craque David Silva. O Olympiakos demorou mexer, e talvez por isso tenha sido punido com o segundo gol, após boa tabela entre Jovetic e Silva, que recebeu o passe do atacante e sofreu um penalti. Kolarov cobrou no canto esquerdo de Roberto e converteu. Logo após o gol, Míchel mexeu na equipe, sacando Dominguez, Manolas e Kasami (que nada estavam produzindo àquela altura), levando a campo Bouchalakis, Avlonitis e Ghazaryan. E foi justamente dos pés deste último, armênio oriundo do Metalurh Donetsk, que veio o gol de empate. Ocupando a faixa esquerda do campo, achou Diamantakos entrando na área com liberdade e fez ótima assistência para o grego, que só teve o trabalhou de driblar Joe Hart com um simples toque e guardar a bola no fundo do gol.

Após o gol de empate e outras três alterações no Olympiakos (Leandro Salino, Papazoglou e Kolovos), os pulmões se igualaram, mas o futebol caiu drasticamente. O City teve a bola na maior parte do tempo, mas os únicos lampejos de criatividade saíam dos pés de David Silva – frustrado por duas boas defesas do goleiro Roberto, seu compatriota. Bruno Zuculin ficou preso no centro do campo, não utilizando nenhuma vez duas de suas características: a infiltração na área, e a conclusão em gol. O jogo pelo menos serviu para ver mais do mesmo: Micah Richards mostrando que, se escalado como lateral, como insistem em fazer, não tem os mínimos recursos técnicos para subir ao ataque. E que James Milner, insatisfeito com a reserva, deveria procurar outro clube imediatamente, pois o nível que têm demonstrado desde a última temporada é para não servir nem como opção no banco. Pelo Olympiakos, Ghazaryan foi o único quem mostrou algo diferente no segundo tempo (não que tenha jogado tão bem, mas pelo menos tentava o diferente).

O jogo permaneceu morno até o final, sendo vencido por 5×4 pelo Olympiakos na disputa de pênaltis. No final das contas, ambos saíram eliminados do torneio, que terá Liverpool e Manchester United fazendo a final em partida que ocorrerá na segunda-feira (04/08).

BOLA DENTRO

Manchester City: Stevan Jovetic – foi o homem com mais vontade dentro de campo. Correu muito, movimentou-se pelos dois lados do ataque com frequência, marcou seu gol e participou do lance que originou o segundo. Encerra sua participação na ICC com 5 gols em 3 partidas, e terá a expectativa de ser titular novamente no próximo Domingo (09/08), quando o City enfrentará o Arsenal pela Community Shield.

Olympiakos: Dimitri Diamantakos – formado no clube, o jovem centroavante de 21 anos perambulou por Panionios, Aris e Ergotelis, e usou a ICC para mostrar que tem condições de fazer parte do elenco. Além do seu brilhante desempenho com 3 gols em 3 partidas, deixou sua marca 10 vezes em 27 jogos atuando pelo Ergotelis, na última temporada. É o cara para suprir a lacuna deixada desde a saída de Mitroglou para o Fulham.

BOLA FORA

Manchester City: James Milner – deu entrevista durante a semana afirmando querer atuar mais. Considerando sua última temporada, e sua participação na Guiness Cup, isso só deverá ocorrer se pedir para ser negociado. Sua entrada em nada agregou à equipe, levando ainda o bônus de ter sido um dos 3 do City a perder o pênalti na disputa.

Olympiakos: Avraam Papadopoulos  – entrou após a lesão de Siovas, e não esteve ao seu nível. Não conseguiu fazer nada para parar Jovetic, que praticamente ignorou sua marcação no primeiro gol. Perdeu na corrida para o atacante em outro momento, cometendo penalti não marcado pelo árbitro. E foi ‘coroado’ também com a perda de um pênalti.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 2 de agosto de 2014 por em Sem categoria e marcado , , .

Navegação

Siga-me no Twitter

Follow Análise FC on WordPress.com

Categorias

Arquivos

LinkLog

Estatísticas do blog

  • 3,116 visitas
GeraLinks
%d blogueiros gostam disto: